Servidores da CGE-MG visitaram, nos dias 24 e 25 desse mês, a Controladoria-geral do Distrito Federal (CODF) e a Controladoria-Geral da União (CGU), em Brasília. O objetivo da viagem foi buscar boas práticas de gestão e de controle interno para fomento e disseminação junto à CGE e aos órgãos e entidades da administração pública.  

Esse tipo de visita técnica – também denominada benchmarking – permite não apenas comparar nossas práticas, mas também incorporar novos conceitos e ideias, além de promover a integração necessária para a efetividade das ações de controle Interno.

Em geral as temáticas tratadas têm sido objeto de discussão e implementação por instituições públicas e privadas de referência, o que perpassa por uma mudança cultural, a exemplo da gestão de riscos e de auditoria baseada em riscos.

 

“Subir montanha não é fácil, mas existe uma vista panorâmica de recompensa”analogia muitas vezes utilizada durante a visita técnica

 

A equipe da Controladoria Geral do DF destacou que o controle Interno tem que estar próximo da gestão, sendo o grande desafio a atuação de forma tempestiva e, nessa ótica, mudanças incrementais devem ocorrer nas organizações. 

A CODF relatou que aumentou a efetividade de suas ações com a aproximação do gestor, o que se refletiu em um melhor atendimento das recomendações de auditoria e no aumento do grau de confiança em relação ao trabalho dos auditores.

Na CGU a gestão de riscos e ABR também está em processo de estruturação e de enraizamento cultural. O órgão também tem sido pioneiro na auditoria de integridade e governança das empresas estatais, nova atribuição do controle interno por força normativa. (Lei nº13.303/2016)

Por fim, a visita permitiu a CGE/MG reforçar sua visão quanto a necessidade de uma atuação mais estratégica, aprimoramento do planejamento de auditoria e melhoria da gestão de informações.

 

Da esquerda para a direita: Omar Abreu Bacha, Cynthia Vieira, Luciana Cássia Nogueira, Henrique Ziller (Controlador do DF), Débora Severino e Camila Montevechi