Noticias

Proposito CGE 2022

Por que você se levanta da cama todos os dias para trabalhar? Foi com essa pergunta que a CGE começou a busca pelo propósito do órgão, razão principal para uma instituição existir e poderoso instrumento direcionador da cultura organizacional e da motivação dos próprios servidores. O propósito da CGE: “Ser integridade e eficiência por uma sociedade melhor”, é o objetivo das ações do órgão e representa sua contribuição para um mundo melhor. 

Os trabalhos de construção de propósito da CGE começaram no início de 2021 e envolveram os servidores da casa, além da alta administração. Foram realizadas pesquisas com o público interno e externo, dinâmicas com os servidores e várias rodadas de brain storm, conversas e reuniões, que tiveram a objetividade garantida graças à parceria com a consultoria Betânia Tanure Associados (BTA), que orientou e otimizou o processo.

Construir o propósito de uma instituição é uma tarefa complexa, com muitas idas e vindas, avanços e retrocessos, mas o resultado pode ser transformador para a cultura e o clima organizacionais, além de trazer novo ânimo para os colaboradores. “Sem dúvida nenhuma construir o propósito da CGE foi uma das experiências que mais nos despertou a consciência sobre nossa razão de existir não só como instituição, mas também como servidores”, afirmou o controlador-geral do Estado, Rodrigo Fontenelle.

 

plano int sedese site

Com a implementação do PMPI, atualmente, quase 90% dos órgãos do executivo mineiro já possuem seus planos de integridade publicados ou em produção.

 

Na última segunda-feira (14/02), a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) lançou o seu Plano de Integridade, com o objetivo de fomentar a transparência no ambiente organizacional. O documento representa um passo importante para promover a cultura ética entre os servidores, parceiros e a sociedade civil.

O Plano de Integridade da Sedese foi estabelecido em observância ao Decreto 47.185/2017, que institui o Plano Mineiro de Promoção da Integridade (PMPI). Trata-se de um compromisso público que a Secretaria assume a fim de prevenir, detectar e corrigir ilícitos, fraudes e atos de corrupção dentro do órgão.

Para que o Plano de Integridade da Sedese seja colocado em prática, serão promovidas ações de capacitação e de conscientização, para estimular valores e estabelecer padrões de conduta que devem ser adotadas, internamente, pelos agentes públicos e, externamente, no relacionamento dos servidores com parceiros, empresas e sociedade em geral.

 

"O Plano de Integridade da SEDESE é fruto de um longo trabalho de avaliação de medidas relevantes para a Secretaria, realizado por representantes do Gabinete, das Subsecretarias e por outras áreas que têm um papel importante na promoção da integridade no órgão, como a Diretoria de Recursos Humanos e a Comissão de Ética. Por isso, creio que resultou em ações que, de fato, têm o potencial de contribuir para a promoção do comportamento ético, transparente, comprometido com o interesse público e contrário a qualquer ato lesivo ao patrimônio público" - afirmou Rejane de Carvalho, controladora setorial da Sedese.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Sedese

 

Sobre o PMPI

Concebido pela CGE/MG, o objetivo do PMPI (Plano Mineiro de Promoção à Integridade) é criar um ambiente íntegro no Estado de Minas Gerais, e cada órgão ou entidade da administração pública do Poder Executivo é responsável por elaborar e publicar seu plano de integridade específico.

Para conhecer mais sobre o Plano Mineiro de Promoção da Integridade, instituído pelo Decreto nº 47.185, de 12 de maio de 2017, visite o Portal PMPI. (Clique aqui para acessar o Portal PMPI).

CBMMG site

 

A auditora-geral, Luciana Nogueira, participou, na manhã de ontem (10/02), de uma reunião técnica com o time responsável pelo Projeto Estratégico de Governança Pública do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG). O objetivo do encontro foi alinhar conceitos e diretrizes sobre governança e gestão pública no âmbito do Estado de Minas Gerais.

Durante a reunião, foram apontadas as interseções entre gestão e governança pública e a importância de disseminar tais conceitos desde o nível estratégico até o operacional, de modo a transformar cada bombeiro militar em um agente de mudança em prol da eficiência e do interesse público.

A reunião contou, ainda, com a presença de militares da Assessoria de Contabilidade e Finanças (ACF) da Diretoria de Logística e Finanças (DLF), da Auditoria Setorial e da Diretoria de Assuntos Institucionais (DAI) do CBMMG, que compõem o time do projeto e que tem como gerente o coronel Alessandro Fábio Daldegan, diretor de Recursos Humanos da corporação - DRH. Além disso, esteve presente o Auditor Setorial do CBMMG, Cel. Robespierre de Oliveira Silva, bem como representante da Assessoria de Assistência à Saúde da corporação.

 

Fonte/fotografia: Assessoria de Comunicação Social CBMMG

 

Confira as fotos na galeria abaixo.

 

Joomla Gallery makes it better. Balbooa.com

 

conselho racical 2022

Visando promover o controle social e a diversidade, o Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial (Conepir) e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (SEDESE) tornaram público o Edital CONEPIR Nº 01/2021 para a eleição das organizações da sociedade civil interessadas em compor o Colegiado.

Podem se candidatar entidades com atividades relacionadas às questões raciais e/ou étnicas com sede em Minas Gerais, com representação regional em pelo menos três municípios e, no mínimo, dois anos de existência. As organizações podem se inscrever como eleitoras ou candidatas.

As organizações interessadas em participar do processo eleitoral, como eleitoras ou candidatas, podem se inscrever até a próxima segunda-feira, dia 14 de fevereiro, por meio de formulário eletrônico. Para efetivar a inscrição, após o preenchimento da Ficha de Inscrição Online, é necessário encaminhar os documentos exigidos no item 4.2.2.1 do Edital para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. até a data do recebimento de inscrição.

Para mais informações, acesse http://conselhos.social.mg.gov.br/conepir/.

Sobre o Conselho

O Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial tem como objetivo propor políticas que promovam a igualdade racial para os grupos étnicos minoritários do Estado, com ênfase na população negra, indígena e cigana, a fim de combater a discriminação racial, reduzir as desigualdades sociais, econômicas, financeiras, políticas e culturais e ampliar o processo de participação social.

O Conepir/MG é integrado por 11 representantes das organizações da sociedade civil, subdividida pelos segmentos: população negra, quilombolas, mulheres negras, movimento negro, juventude negra, comunidade LGBTQIA+ negra, religiões de matriz africana, povos indígenas, comunidade cigana e representantes de outras etnias.

podcast 35 site

Confira o bate-papo entre Danilo Maeda e Rodrigo Fontenelle sobre a Agenda ESG.

No episódio 35 do PodeFalar, o controlador-geral do Estado de Minas Gerais, Rodrigo Fontenelle, conversa com Danilo Maeda, head da consultoria de sustentabilidade Beon com mais de 10 anos de atuação na área de estratégia, governança e gestão ESG, sobre a Agenda ESG, com ênfase na parte ambiental. Neste bate-papo, o convidado explicou o quanto é fundamental a adoção de uma agenda ESG na administração pública.

“ESG” é um acrônimo originado do inglês ambiental (Environment Social and Governance), cunhado em uma publicação do Pacto Global da ONU em 2004, em parceria com o Banco Mundial, chamada Who cares Wins. O seu surgimento é devido a uma provocação do secretário-geral da ONU Kofi Annan a 50 CEOs de grandes instituições financeiras, sobre como integrar fatores sociais, ambientais e de governança no mercado de capitais.

Maeda destacou que as organizações que possuem uma boa gestão nos temas sociais, ambientais e de governança, são também as organizações que produzem melhor retorno financeiro, uma vez que elas evitam exposição ao risco. “O planeta vive uma escassez de recursos, cujo ritmo da regeneração é menor que o da destruição. Além disso, os níveis de injustiça social estão em níveis muito altos, o que pode levar a momentos de ruptura no tecido social. Por isso, os investidores concluem que vale mais a pena apostar nas empresas que já estão prontas para isso” – enfatizou o convidado da semana.

 

O 35º episódio já está disponível nas principais plataformas digitais. Não deixe de ouvir e compartilhar esse podcast!

Assista à entrevista pelo YouTube (clique aqui) ou ouça na plataforma de sua escolha: SpotifyDeezerApple PodcastsGoogle PodcastsAnchor.